Segurança rodoviária global: temos um novo plano!

Redacción Circula Seguro

28 October, 2021

Em 2009, a OMS publicou o “Relatório sobre a situação global da segurança rodoviária” com números extremamente preocupantes: quase 1,3 milhões de pessoas morreram nas estradas do mundo todos os anos e 50 milhões de pessoas saíram feridas, muitas delas incapacitadas para o resto da vida. Dado que os acidentes rodoviários podem ser evitados, a OMS fez um apelo que foi aceite pela Organização Mundial das Nações Unidas. A Década de Ação para a Segurança Rodoviária 2011-2020 foi assim instituída.

A última década

Houve alguma melhoria real nesta área nos últimos dez anos? Para saber que medidas funcionaram melhor e pior nos diferentes países nos últimos dez anos, a Fundación MAPFRE preparou o relatório “Avaliação da Década de Ação para a Segurança Rodoviária 2011-2020”, em colaboração com o The George Institute for Globalth Health e The Miken Institute School of Public Health da Universidade George Washington (EUA).

Uma das principais conclusões desta investigação é que cada vez mais instituições e países estão de acordo em fazer da segurança rodoviária uma questão de saúde pública, e de forma “urgente”, para ter melhores sistemas de registo e notificação de lesões de trânsito, e promover a colaboração entre países para implementar boas práticas. A má notícia é que os acidentes rodoviários estão a crescer especialmente em regiões de baixos rendimentos, como África, onde a taxa média de acidentes mortais é de 28,2 por 100.000 habitantes. Outra área a melhorar é a legislação; apenas 28 países, isto é, um 7% de toda a população mundial, têm atualmente em vigor uma legislação sólida de segurança rodoviária para enfrentar os principais riscos rodoviários, por exemplo: o consumo de álcool, não cumprimento dos limites de velocidade, não utilização de capacete de mota e sistemas de retenção infantil, entre outros.

Estratégia de futuro

Estas e muitas outras conclusões do que aconteceu ao longo dos últimos dez anos têm sido fundamentais para definir a próxima estratégia de segurança rodoviária que deverá orinetar a comunidade internacional nos próximos dez anos: “Plano Global da Década de Ação para Segurança Rodoviária 2021-2030”. Como parte da comunidade UNRSC, a Fundación MAPFRE contribui com a sua experiência e pontos de vista para orientar o desenvolvimento deste plano de livre acesso no sítio web da OMS desde 28 de outubro.

Este plano, também elaborado pela OMS, inclui as melhores recomendações de especialistas para modernizar estradas e auto-estradas, aumentar a segurança dos veículos, evitar erros de condução e distrações, e promover a multimodalidade e meios de transporte seguros, saudáveis e sustentáveis, entre outras ações, e analisa as medidas necessárias para levar a cabo cada uma delas.

“Será uma ferramenta fundamental para orientar os esforços dos países para reduzir as mortes e lesões nas estradas em pelo menos 50% até 2030. Temos agora um documento sólido baseado nas lições do passado e com ideias para o futuro, muitas delas da Conferência de Estocolmo, explica Jesús Monclús, diretor de Prevenção e Segurança Rodoviária da Fundación MAPFRE. Para isso, a ONU conta com o nosso compromisso contínuo em divulgar este plano e continuar a trabalhar em ações de segurança rodoviária para a próxima década. Esta é uma oportunidade global para a segurança rodoviária ser considerada como um aspeto a ter em conta nas políticas públicas de todos os países”.

Etiquetas

dados
--

Uma iniciativa da: