Jovem de 14 anos mostra solução para eliminar o ângulo morto nos automóveis

É talvez um dos grandes problemas que a tecnologia não conseguiu superar na indústria automóvel. É preciso ter em conta que 90% da informação que recebemos do que nos rodeia num automóvel chega-nos através da visão, mas e os outros 10%? Essa é reduzida pelo ângulos mortos.


O desenho da carroçaria de cada veículo condiciona algumas áreas de invisibilidade que, pouco a pouco, vão sendo “descobertas” através de sistemas que ajudam o retrovisor a alcançar. Mas, parece que a solução mais efetiva chega-nos de uma adolescente norte-americana que já recebeu um prémio pela ideia revolucionária que apresentou. Porquê e onde se produzem os ângulos mortos de um veículo?

Primeiro devemos perceber o que são e porque se formam para pode intervir, ou seja, resolver o “problema”. Uma solução é precisa, pois a falta de visibilidade é um risco preocupante, mais ainda quando se trata de saber o que se “mexe” por atrás de nós.

Os principais afetados pelos ângulos mortos são o resto dos utilizadores da via, principalmente os condutores, que devem saber reagir perante as mudanças imprevistas de faixa de rodagem. Os espelhos retrovisores facilitam essa visão, mas não por completo. Referimo-nos concretamente à zona lateral do veículo que não chega a ficar 100% visível com nenhum espelho, mas também depende das dimensões do veículo e do ajuste dos espelhos.
Esta visibilidade em falta é conseguida com um simples exercício de geometria. O campo de visão que nos trazem os retrovisores fica delimitado pela linha reta que “sai” dos nossos olhos, reflete-se em cada um dos bordos do espelho e estende-se para trás. Tudo o que fica fora desta zona torna-se invisível para o condutor e é por isso que, muitas vezes, temos de nos inclinar para a frente para nos assegurarmos que não há riscos quando manobramos o veículo.

Um projeto da secundária foi a solução

Propostas para encontrar a melhor solução não faltam, mas a jovem Alaina Gassler espantou meio mundo, não só pela sua tenra idade, mas também pelo inovador projeto que apresentou. Apresentou-o no concurso Broadcom MASTERS, um certame relacionado com ciência e sociedade para estudantes do secundário sob o mote “melhora a segurança do automóvel através da eliminação dos ângulos mortos”.
A sua invenção consta de uma projeção que constrói a imagem que o condutor não consegue ver e que está coberta pelo pilar A, entre as janelas e o vidro dianteiro, tornando-o invisível. O sistema de Gassler é constituído por uma webcam instalada na parte exterior do pilar lateral e que emite imagens do interior graças a uma série de materiais impressos em 3D.
O maior desafio que a jovem estudante enfrentou foi a solução não provocar outro problema de visibilidade pela projeção das imagens. Ao ser um espaço reduzido conseguiu fazê-lo utilizando uma tela refletora colocada sobre o pilar que emitisse a luz refletida de regresso à fonte de luz, permitindo que o condutor obtenha uma imagem nitída que não interfira com o resto dos espelhos nem “chateie” os passageiros.
Para já a qualidade da imagem é melhorável, mas tem espaço para melhorar muito no futuro. A vencedora ganhou 25 mil dólares para investir na sua investigação, mas também numa empresa que teste este sistema.

 

Outros sistemas para evitar os ângulos mortos

Os sistemas de deteção de ângulo morto denominam-se em inglês por BLIS (Blind Spot Information System) e consistem basicamente num elemento eletrónico que vê o que o espelho não é capaz de ver e ainda uma unidade de processamento que atua em consequência emitindo um alerta ao condutor. Estes são alguns dos sistemas mais utilizados nos modelos atuais:

– Câmaras de vídeo: normalmente estão colocada no próprio retrovisor, estão orientada para trás e processam o que captam do exterior com um programa de reconhecimento de imagens.

– Radar: pode estar montado no pára-choques posterior ou em ambas as esquinas do mesmo para cobrir o ângulo morto. As ondas de rádio que emite o radar “batem” no veículos que o rodeiam, detetando-os deste forma. O radar pode ter um alcance de 10 a 100 metros.

– Sensores de ultrasons: ainda que os sensores de ultrasons têm um alcance mais curto, por isso são utilizados para ajudar a estacionar.

Atualmente todos os carros utilizam espelhos com uma certa curvatura (convexos), para melhorar um pouco o ângulo de visão e abarcar mais campo visual, deixando-nos ver um pouco mais e reduzindo toda a possibilidade de ângulo morto. Mas o ângulo morto é difícil de resolver, por isso agradecemos iniciativas como esta.

Fonte: Circulaseguro.com