Trotinetas elétricas: escolha a sua

Redacción Circula Seguro

24 May, 2021

São ecológicas, eficientes, leves, muito práticas para percursos curtos e uma grande alternativa às bicicletas. A utilização das trotinetas elétricas está a aumentar e já fazem parte da paisagem habitual de muitas cidades. A velocidade máxima permitida para estes veículos é de 25 Km/h, com autonomia para 20-25 km., mas não todas são iguais. Se está a pensar nesta opção de veículo de mobilidade pessoal (VMP), explicamos os diferentes tipos de trotinetas elétricas que existem, para que possa escolher a mais adequada ao seu perfil.

Modelo tipo scooter

Este é o modelo mais comum nas nossas ruas e é o utilizado pelas plataformas de aluguer. Nesta categoria pode encontrar versões para miúdos, que são pouco mais que brinquedos, e também trotinetas para pessoas com deficiência. Informe-se bem sobre o seu equipamento, características técnicas (peso, se pode ser dobrada, tipo de pneus, sistema de travagem, suspensão, tempo de carga, etc.) e autonomia antes de comprar, para escolher a que melhor se adapta às suas necessidades. Também há modelos com banco, para quem não gosta de ir de pé.

Hoverboard: diversão e conforto

É um modelo de trotineta elétrica que está muito na moda, especialmente entre crianças e adolescentes. São muito confortáveis e divertidas, embora no início seja necessário treinar um pouco. Permite levar as mãos livres e funciona graças a uma série de sensores que detetam o peso da pessoa que a utiliza. Desta forma, se a pessoa inclinar o seu corpo um pouco para frente, o hoverboard pode levá-la nessa direção.

A velocidade depende da pressão feita com os pés na superfície da trotineta, nomeadamente na borracha onde os pés descansam, onde estão os sensores. O hoverboard desloca-se na direção em que a pressão é aplicada, portanto, a posição adotada determina a direção do deslocamento. O giroscópio e o acelerómetro incorporados são responsáveis pelo equilíbrio e estabilização do centro de gravidade para conseguir um percurso suave e preciso.

Embora pareça complicado, a verdade é que, depois de praticar um pouco, esta trotineta é fácil de usar e divertida para os miúdos. Porém, é aconselhável escolher um modelo com a potência de motor certa para cada pessoa.

Monociclo: nunca pare

O monociclo elétrico ou uniciclo, também conhecido como roda elétrica ou segway, é basicamente uma trotineta elétrica com uma única roda. O seu funcionamento também está baseado no mesmo sistema utilizado pelo hoverboard: são os sensores incorporados que dão estabilidade e suavidade ao deslocamento.

Também é preciso certa destreza, já que o monociclo não pode permanecer parado. Porém, há monociclos elétricos com duas rodas paralelas, o que permite ter uma maior superfície de contacto com o solo, facilitando o equilíbrio. Também podemos começar com rodas de treinamento, colocadas de cada lado e que tocam o chão ao inclinar-se muito.

Skate elétrico: coordenação e equilíbrio

Se o skate tradicional já evoluiu para diferentes tamanhos de pranchas, por exemplo, o longboard ou o cruiser, o uso do motor neste tipo de skate não iria ser menos. Embora a filosofia do skate ainda seja a tradicional, imitar os movimentos que os surfistas realizam fazem nas ondas, os skates elétricos chegaram para proporcionar aos seus utilizadores curvas mais rápidas e mais divertidas. Para andar de skate é necessário ter uma grande coordenação e sentido de equilíbrio.

Convém sempre lembrar que, para além de respeitar as normas de cada cidade, região ou país, deve sempre usar capacete e proteção adicional (joelheira, cotoveleira, luvas…), pois as quedas ou colisões deste tipo de veículo podem acabar em lesões muito graves.

É importante ter em mente que andar de skate também pode levar a lesões, tanto para si como para outros utilizadores, especialmente peões, pelo que é aconselhável ter um seguro que cubra, pelo menos, os danos que possa causar.

Por último, lembrar que alterar as características técnicas destes veículos é completamente proibido e pode ter repercussões na sua segurança e na responsabilidade por quaisquer danos que possa causar.

Desfrute ao máximo desta nova mobilidade, mas sempre com responsabilidade.

Etiquetas

Mais smart
--

Uma iniciativa da: