Ainda se deve fazer rotação de pneus?

Ainda não passaram assim tantos tantos anos sobre o facto de ser praticamente obrigatório fazer a rotação de pneus. Era praticamente uma medida instituída. Assim que os pneus da frente começavam a ficar mais desgastados que os traseiros, a solução era passar os da frente para o eixo traseiro do veículo.

Quaisquer diferenças na profundidade do piso entre a dianteira e a traseira que possam ser encontradas imediatamente após a rotação de pneus com intervalos de 10 mil km, não afetarão o equilíbrio em aquaplaning do veículo e não deverão impedir a rotação de pneus.
Nesse sentido, diferenças nos índices de desgaste serão, na verdade, um indicativo de que a rotação de pneus deve ser realizada com maior frequência. Quando efetuada de acordo com os períodos recomendados, a rotação de pneus permite manter o equilíbrio da manobrabilidade e da tração, bem como nivelar o desgaste dos pneus. A rotação de pneus pode, inclusivamente, proporcionar vantagens ao nível do desempenho.
É vantajoso que os quatro pneus tenham um desgaste uniforme, porque, à medida que o desgaste reduz a profundidade do piso dos pneus, os quatro vão responder mais rapidamente às manobras do condutor, mantendo a manobrabilidade e ajudando a aumentar a tração dos pneus em curva. Se os pneus tiverem um desgaste uniforme, o condutor poderá comprar um conjunto de pneus sem ser forçado a comprar pares. Ao substituir os pneus em conjuntos de quatro, irá manter o equilíbrio de comportamento original. Além do mais, as marcas introduzem, constantemente, novos pneus, com melhorias ao nível do desempenho relativamente aos produtos anteriores.

Que padrão de rotação de pneus devemos seguir?

A indústria identificou três padrões de rotação tradicionais, que abrangem a maioria dos veículos (equipados com pneus não direcionais e jantes com a mesma dimensão e profundidade). Sendo o primeiro o padrão “Cruzamento para a traseira”; o segundo “Cruzamento para a dianteira”; o terceiro “Padrão em X”. O “Padrão em X” pode ser utilizado como uma alternativa ao cruzamente para a dianteira ou ao cruzamento para a traseira. As tendências atuais no que respeita a pneus e jantes de alto desempenho tornaram necessária a criação de dois padrões adicionais de rotação de pneus:
O padrão “De trás para a frente” pode ser utilizado em veículos equipados com jantes direcionais idênticas e/ou pneus direcionais idênticos. O padrão “Lado-a-Lado” pode ser utilizado em veículos equipados com pneus e jantes não direcionais com dimensões diferentes no eixo dianteiro e no eixo traseiro. Se os dois últimos padrões de rotação não proporcionarem um desgaste uniforme, será necessário desmontar, montar e reequilibrar para proceder à rotação de pneus. Em veículos que utilizam pneus e jantes direcionais com dimensões diferentes e/ou jantes com profundidades diferentes na dianteira e na traseira, será necessário desmontar, montar e reequilibrar para proceder à rotação de pneus.

Troca de pneus

Com que frequência é necessário efectuar a rotação?

É recomendado efectuar a rotação dos pneus, aproximadamente, a cada 10 000 km. Existem outros factores que podem significar que é necessário efectuar a rotação dos pneus com maior frequência:
Velocidades elevadas, cargas pesadas, distâncias longas: se conduzir com regularidade a alta velocidade e durante longas distâncias ou transportar cargas pesadas, é recomendado efectuar a rotação regularmente, devido à tensão adicional.
Desgaste irregular: efectue a rotação o mais rapidamente possível, caso detecte desgaste irregular.
Zumbido: se os seus pneus emitirem um zumbido enquanto conduz numa estrada de piso regular, poderá estar na altura de verificar se é necessário efectuar a rotação.

Troca de pneus - Michelin
Posso efetuar a rotação de pneus?

No Circula Seguro, e seguindo indicações da Michelin, recomendamos que a rotação dos pneus seja efectuada por um profissional, no seu revendedor ou numa oficina. Mas pode fazê-lo sem quaisquer ferramentas de especialistas.
Necessita apenas de espaço e algumas horas.Consulte sempre o manual do proprietário do veículo, para verificar as recomendações específicas do fabricante.

Aspectos a considerar para efectuar a rotação dos pneus
Efectuar a rotação da dianteira para a traseira
Apenas deve efectuar a rotação dos pneus da dianteira para a traseira, se todos os pneus tiverem a mesma medida.

Medidas de pneus diferentes:
Alguns veículos estão equipados com pneus de medidas diferentes nos eixos dianteiro e traseiro. Neste caso, a rotação dos pneus deve ser efectuada apenas no mesmo eixo.

Padrões direccionais do piso:
Ao efectuar a rotação dos pneus com padrão direccional do piso, certifique-se de que segue as setas no flanco do pneu.

Desmontar, montar e recalibrar:
É necessário efectuar este procedimento, se o veículo utilizar tipos direccionais de tamanhos diferentes, com extremidades diferentes na dianteira e traseira.

Fonte: Michelin
Fotos: Michelin