As avarias que pode evitar com o seu estilo de condução

Sabia que o tipo de condução que pratica diariamente pode influenciar o estado geral do seu automóvel ao ponto de o avariar? O Circula Seguro vai explicar-lhe o que pode suceder no caso de se desleixar com algumas situações.

Verificar bem o nível dos líquidos, a pressão dos pneus e praticar uma condução equilibrada é meio caminho andado que a vida útil do nosso veículo seja prolongada e evitar surpresas desagradáveis. Aqui ficam algumas situações do dia-a-dia que pode evitar fazer para que o desgaste do seu automóvel não seja prematuro.

1 – Desgaste prematuro da embraiagem

Conduzir com o pé esquerdo apoiado constantemente na embraiagem gera fricções desnecessárias e, a longo prazo, uma passaem pela oficina. É a principal causa de substituição do disco de embraiagem.
Utilize a empbraiagem apenas quando for estritamente necessário, ou seja, para começar a andar ou trocar de caixa. Uma fricção excessiva em cada cilco vai limando pouco a pouco o disco, provocando a típica patinagem.

2 – Filtro de partículas

O filtro de partículas evita que o carvão resultante da combustão do gasóleo seja liberta na atmosfera. Estas partículas são capturadas pelas paredes porosas do filtro e destruídas em ciclos de regeneração automáticos. O problema localiza-se precisamente no facto destes ciclos precisarem de tempo para se completarem e precisam que o motor fique a trabalhar desde que é ligado, pelo menos 20 minutos. Interromper este processo mais de três vezes pode ser sinónimo de uma visita à oficina.
Utilizar um carros Diesel em trajetos curtos e contínuos sem deixar que o filtro se regenere é sinónimo de avarias a longo prazo. O melhor será fazer alguns quilómetros em autoestrada a velocidades mais elevadas.

3 – Folgas na caixa de velocidades

Conduzir com a mão constantemente apoiada no comando da caixa de velocidades, seje num carro manual ou automático, vai produzir folgas nos elementos existentes entre o comando da caixa e a própria caixa de velocidades, engranagens, rolamentos…
Cada pequeno golpe, pressão ou movimento, é transmitido à caixa de velocidades através das ligações entre as várias partes. É preciso manter as duas mãos no volante logo depois de cada troca de caixa.

4 – Quebra dos tubos

Utilizar água na refrigeração sem anticongelante pode trazer uma surpresa desagradável, principalmente no inverno. Um dia mais frio pode congelar a água no sistema, que quebra pela parte mais débil: os tubos. Substituir os tubos não e muito dispendioso, mas no caso de algum se romper com o carro em andamento, pode provocar a perda total do liquido da refrigeração e levar a uma avaria mais dispendiosa.

5 – Avarias pelo estilo de condução

Um tipo de condução demasiado desportivo, agressivo e puxando pelo motor ao máximo vai acelerar o desgaste de todos os elementos mecânicos. Abusar das acelerações e travar bruscamente vai colocar em risco qualquer componente do motor.
No outro extremo, conduzir sempre em rotações muito baixas vai ter o mesmo efeito.
O ideal é uma condução equilibrada, levando o motor num regime de rotação ótimo, o que o fabricante recomenda, e aproveitando, de vez em quando, uma zona de aceleração para dar uma “alegria” ao motor, o que vai ajudar a eliminar qualquer impureza ou carvão.

6 – Problemas por não verificar os níveis

Muitas vezes esquecemo-nos de verificar os níveis do nosso veículo. Há liquidos que são cruciais e precisam de verificação constante: o óleo e o liquido da refrigeração. Circular com o liquido de refrigeração no minímo é sinónimo de aquecimento e avarias importantes e dispendiosas.
O óleo, por seu lado, convém que seja verificado com o motor frio e numa superíficie plana. Ao retirar a vareta, pode ainda verificar a cor do lubrificante. Um óleo muito escuro ou com impurezas indica que alguma coisa não está, de todo, bem.

7 – Desgaste prematuro de pneus e furos

Os pneus são a única superfície do carro em contacto com o solo e como tal influencia em todos os aspetos relacionados com a condução: estabilidade, travagem e direção. Andar sempre com a pressão anunciada pelo fabricante é meio caminho andado para que durem mais e para que o carro responda melhor à nossas ordens.

Fonte: Norauto