Atropelamentos! O que fazer para os evitar. (2)

Atropelamentos! O que fazer para os evitar.

O flagelo dos atropelamentos pode ser diminuído, diminuindo desse modo a dor das vitimas, dos familiares e dos custos inerentes às ocorrências. Basta que para tal, cada um dos responsáveis pela segurança e prevenção rodoviárias, desenvolva a sua acção correctamente.

Apontar o dedo é fácil e atribuir a culpa ainda mais. Acontece que a ocorrência dos atropelamentos não é culpa de um só dos intervenientes… tem sempre na responsabilidade, dois. Um que está presente e outro que nunca está presente.

Responsabilidades partilhadas nos atropelamentos

Os atropelamentos surgem por diversas razões; uma, pela deficiente prática na circulação de veículos em locais de risco elevado, como por exemplo na proximidade de escolas, centros de saúde, jardins, etc…, mas também pelo desrespeito das passagens assinaladas para a travessia da faixa de rodagem.

Acontece que em muitos locais as “passadeiras” não se encontram nos locais adequados, estando localizadas em espaços de risco elevado, com deficiente visibilidade ou ponto de aceleração à saída de rotundas. Também existem as não passadeiras, ou seja, aquelas que não estão pintadas no pavimento ou que a tinta está tão gasta que não se vê.

É aqui que encontramos os que partilham  a responsabilidade pelos atropelamentos; os responsáveis autárquicos que insistem em não efectuar uma manutenção adequada à sinalização horizontal da via, assim como em não equipar as estradas nacionais com espaços reservados à circulação de peões ou bermas, obrigando-os a circularem na faixa de rodagem, em locais, muitas vezes, só por si, já limitados à circulação de veículos.

Assim, para que se possa diminuir, efectivamente, cada um dos intervenientes deverá actuar de acordo com as suas responsabilidades, devendo, para isso, os responsáveis políticos desenvolverem uma acção de revitalização do meio rodoviário de sua responsabilidade, os condutores adoptarem uma correcta postura na sua condução e os peões aumentarem o seu nível de segurança.

Foto¦ Globo