Como reagir perante uma condução agressiva

road rage

Todos sabemos que ao conduzir somos sujeitos a uma grande pressão e se não conseguirmos que essa pressão não nos afete de forma significativa podemos entrar numa situação de stress, deixando-nos menos capazes de conduzir e transformar a própria condução num exercício perigoso.

Este fato é tão frequente que até a Polícia de Segurança Pública informa no seu site oficial que a canalização do stress para a condução, além de a transformar em condução agressiva, “pode transformar um pacato cidadão num verdadeiro “Mad Max” das estradas nacionais”. Saiba então como reagir perante uma condução agressiva.

Clinicamente pode até tratar-se de um transtorno psiquiátrico, onde a pessoa, nos momentos de raiva, não consegue conter seu comportamento e acaba perdendo o controle, geralmente os fatores motivadores destes comportamentos são fundamentalmente do foro social e psicológico, que despoletam atitudes antissociais e que levam os condutores a descarregarem as suas frustrações nos outros utentes da via.

Essa forma de agir agressiva, por vezes pode levar a uma reação também acalorada e intempestiva por quem é vitima desse comportamento e podem colocar a segurança rodoviária em risco grave, podendo causar, em casos extremos, acidentes com consequências graves ou ser o percursor de agressões entre os diferentes intervenientes.

Como diagnosticar a situação

A PSP indica algumas das atitudes e reações primárias que devem ser reconhecidas como uma atitude de condução agressiva e que deverá ter uma resposta calma e de não provocação, elas são:

• Passagem de sinais de STOP e sinais vermelhos;
• Excesso de velocidade;
• “Colados” à retaguarda do veículo que os precede;
Travagens e acelerações constantes;
Ultrapassagens pela direita;
• Realizam mudanças de faixa impróprias e pouco seguras;
• Fazem gestos e expressões faciais impróprios;
• Gritam;
• Apitam e fazem sinais de luzes insistentemente;

Estes condutores agressivos reagem, normalmente, aos seus próprios estados de espírito, infelizmente por vezes até já habituais para eles no exercício da condução. Por vezes os comportamentos são despoletados pelo congestionamento de tráfego ou outros acontecimentos anteriores que para eles justificam a sua inadmissível atitude.

No entanto, por vezes sem qualquer justificação, sentem-se provocados pelas ações de outro condutor ou pelo peão que ao passar na passadeira, forçou a sua paragem. Qualquer que seja o motivo, por mais simples e corriqueiros que seja, é o suficiente para criar um estado transtornado e potenciador de criar um condutor agressivo.

Como reagir perante uma condução agressiva

Se detetar algum dos sinais acima descritos, não fique indiferente, saiba como agir conscientemente. Na presença de um destes condutores proteja-se, não seja apanhado de surpresa, se viajar num veículo automóvel certifique-se que tem o cinto de segurança bem colocado e que todos os passageiros também estão protegidos, não entre em picardias desvie-se e dê-lhe passagem.

Em qualquer caso, quer seja condutor ou peão, evite o contacto visual direto e não tome qualquer atitude que possa ser considerada como de desafio. Não queira ser o provocador! Mas também não se justifique no papel de provocado!

Fonte | PSP

Foto | MPD01605