Será que o cinto de segurança afeta o meu bebé?

grávida

A gravidez é para a maioria das mulheres o concretizar de um sonho de uma vida, uma alegria imensa, logo após os meses iniciais, quando a barriga começa a crescer, vem a dúvida “Será que o cinto de segurança afeta o meu bebé?” e também “Até que mês de gestação devo conduzir?”.

Algumas mulheres questionam-se se a compressão do cinto de segurança pode causar prejuízos para o bebê, mas na verdade deveriam se perguntar o que aconteceria, a elas e ao bebé, se não o usassem e a viatura onde circulam se envolvesse num acidente.

Cinto “salva-vidas”

A função primária do cinto de segurança é fixar quem o usa ao banco e evita que seja projetado, quer para fora do veículo quer contra o interior do habitáculo. No caso da gestante ser a condutora o choque do corpo ocorrerá, basicamente, contra o volante ou, mais especificamente, a cabeça de encontro ao airbag.

Num embate de força moderada será esse o desfecho, para que ocorra isso deverá estar a usar o cinto de segurança corretamente, a maioria dos cintos atuais são de 3 pontos, dois deles que imobilizam os quadris e um terceiro que cruza no tronco com um limitador que impede a deslocação a alta velocidade para a frente, que é o que acontece num embate.

A utilização na gravidez

Se for corretamente usado, o cinto não traz nenhum desconforto ou implicação negativa para o bebé, usando o cinto de segurança de três pontos justo, não é necessário chegar ao ponto de tê-lo apertado, tenha em atenção que a faixa diagonal no tronco deve passar entre os seios e sobre o meio do ombro.

A faixa subabdominal, que é a zona inferior do cinto de segurança deve ser ajustada abaixo do útero e não sobre este, eliminando assim a possibilidade de magoar o bebé em caso de embate, tenha em atenção que deverá ter que ajustar a posição do banco devido ao crescimento da barriga.

Alguns especialistas aconselham que o volante esteja na posição mais elevada possível, de forma a desvia-lo o mais possível do bebé, a distância mínima geralmente indicada é de 20 centímetros entre a barriga e o volante, tente ainda ficar com um angulo de 90º entre as pernas e a coluna.

Quanto ao limite ao qual uma gestante deverá parar de conduzir, não existe uma legislação para o efeito, pelo que tudo deverá ser uma questão de constatação da capacidade para o fazer por parte da própria, verificando se possuí, ou não, mobilidade e facilidade de movimentos ao longo da gravidez, parando quando notar uma redução das suas capacidades.

Atenções especiais para gestantes

Se para um condutor “não grávido” exige-se que tenha em atenção a duração de cada período de condução e os respetivos períodos de repouso, para o caso das grávidas essa atenção é maior, pois a sua condição assim aconselha devido à sua menor resistência física.

A condução por longos períodos pode provocar stress, hipoglicemia, dificuldade de retorno venosos e inchaço ao nível das pernas. O ideal é que a mulher grávida não efetue percursos de mais de duas horas ao volante e mesmo assim que faça algumas paragens ao longo desse período, parando para alongar todos os músculos, mas especialmente as pernas.

Se a grávida não for a conduzir, é preferível que viaje no banco traseiro, as probabilidade de ferimentos nestes locais são inferiores aos dianteiros. Caso surja algum imprevisto, como um pneu furado, mantenha a calma e peça ajuda, não faça esforços desnecessários, é a vida do seu bebé que está em jogo.

O segredo de uma condução segura está em adotar um comportamento defensivo na estrada, a gestante deve evitar conduzir em condições meteorológicas desfavoráveis, quer seja chuva ou calor excessivo, deve conduzir numa velocidade mais moderada que o habitual e evitar o stress.

Recomendações para grávidas

– Use sempre o cinto de segurança de três pontos, mesmo no banco traseiro é esse o modelo de cinto que deve ser usado, o modelo de dois pontos geralmente usado no lugar do meio em alguns modelos provocará, em caso de acidente, que o corpo se dobre pressionando o feto, podendo ter consequências fatais.
– Sempre use o cinto de segurança de forma que a faixa diagonal cruze o meio do ombro, passe entre os seios e lateralmente à barriga. NUNCA sobre ela!
– Sempre use o cinto de segurança de maneira que a faixa subabdominal seja posicionada o mais baixo possível, sobre os quadris.
– Nunca use o cinto com folga excessiva ou de forma que comprima a barriga.
– Nunca coloque toalhas ou almofadas entre o cinto e o corpo, ou use capas nos bancos.
Nunca passe a faixa diagonal sob o braço ou a sob axila.
– Nunca se sente sobre a faixa subabdominal do cindo de segurança para utilizar somente a diagonal.
– Use sempre o cinto de segurança.

Uma recomendação final, que talvez seja só uma constatação e uso do bom senso comum, a posição ideal de condução durante a gravidez, tem sempre de ser confortável para mulher.

Foto | David Leo Veksler