Em França, os carros particulares vão poder multar

A privatização dos controlos de velocidade será uma realidade em França, quando a partir de novembro comecem a funcionar os primeiros radares móveis em carros camuflados de condutores particulares, que serão previamente selecionados pelas autoridades.


Esta é a solução encontrada pela Gendarmerie Francesa para fazer face aos baixos indíces de funcionamento, um vez que conta apenas com 400 veículos policiais equipados comradar e cada um deles funciona há média de uma hora diária. Para além disso, há uma elevada percentagem de veículos “camuflados” que nem sequer sai à rua para fazer patrulha por falta de efetivos. Por isso, estas tão poucas horas de vigilância apenas parecem ter uma solução por parte do governo francês.
Com esta medida, os radares móveis já não estão apenas posicionados nos carros da polícia, mas também em automóveis particulares camuflados e selecionados pelas autoridades, que a troco receberão um incentivo económico. Não obstante, o que vão receber nunca será em função da quantidade de multas que “passem”.

400 radares privados é o primeiro objetivo

De acordo com o ministro do interior francês Gérard Collomb, o prinipal objetivo desta medida é “reorientar as tarefas da polícia para missões de segurança”. Os automobilistas, longe de acreditarem nesta justificação denunciam a várias estas associações que esta medida pode. Como se processaria este aumento? o gabinete de Emmanuel Macron tem previsto um investimento de mais de 53 milhões de euros para alcançar uma rentabilidade de 82% quando o sistema estiver implantado.
Segundo a revista francesa Autoplus, a substituição de oficiais de polícia,Gendarmes por pessoal civil particular atuando como patrulhas com automóveis camuflados equipados com radar vai a supor importantes benefícios e lucros para a Administração francesa. As primeiras estimativas apontam para a multiplicação por quatro dos controlos e dos lucros por multas de excesso de velocidade. Este supunha passar dos 2 milhões de euros “recolhidos” em 2016 para oito milhões previstos num ano completo.
Para a contratação de condutores civis, este verão foi feito um concurso público do qual ainda não se conhecem resultados. De momento sabe-se que os condutores escolhidos deverão deslocar-se de um ponto ao outro, previamente especificado pelas autoridades de segurança rodoviária francesa. Em momento algum estes condutores particulares saberão o número de veículos que foram “caçados”. Também não vão poder desviar-se da rota previamente estipulada, pois serão penalizados. Haverá apenas um condutor a bordo de cada veículo, ao contrário da dupla de agentes que segue normalmente num carro patrulha.

Vai gerar novos postos de trabalho

Em novembro arrancava uma patrulha com 26 carros partiulares na região da Normandia, a norte do país, local onde já foram feitos alguns testes. O objetivo do gabinete do interior é aumentar paulatinamente até alcançar os 400 carros.

Como funcionariam estes carros patrulha particulares?

Estes novos carros camuflados utilizariam um radar pouco visível na grelha e um ecrã no tablier. Nunca vão estar parados, nem escondidos, nem estacionados, apenas vão multar em movimento, pois circulam pelos itinerários estabelecidos pela autoridades e controlados por GPS.
Terão ainda cartografia integrada para conseguirem perceber qual a velocidade obrigatória em determinada via e controlar a velocidade de qualquer carros que circule a uma velocidade superior.
Por fim, as margens de tolerância na hora de multar serão de 10 km/h e no caso do carro a multar se encontrar adiantado face ao carro radar particular, deverá existir uma diferença relativa de, pelo menos, 20 km/h.
Ainda que a medida tenha a priori traga um grande benefício para o Estado, as associações de automobilistas não deixam ver os efeitos dos lucros da mesma. Tanto que acusam o Governo de querer encher os cofres à base de multas de trânsito. Se os resultados dos lucros forem positivos, não é de estranhar que países como Portugal possa chegar a utilizar uma medida semalhante.

Fonte: Autoplus