A ficha de desencarceramento do veículo. O que é?

Uma das grandes dificuldades com que as equipas de socorro se deparam frequentemente em ações de desencarceramento é saber onde “cortar” a viatura para retirar a vítima do seu interior.

Os 10 minutos necessários até há pouco tempo para abrir um automóvel e retirar um ferido são agora muitos mais com os automóveis de última geração, já que é preciso ter muita informação para o poder fazer de forma segura: onde se encontram os componentes de alta tensão, as cargas dos airbags, que tipo de combustível utiliza a viatura, quais os melhores pontos de corte da carroçaria.

O tempo é de ouro quando se trata de resgatar um ferido grave encarcerado num automóvel. Uns minutos podem fazer a diferença entre a vida e a morte.

A sua ficha de segurança deve ser impressa em papel A4, dobrada em 3 e colocada na pala solar do lado do condutor, e cole o autocolante identificativo, da presença da ficha de segurança, no vidro do automóvel, de forma a que, em caso de emergência, as equipas de resgate saibam que dispõe desta informação. Para obter o autocolante deverá deslocar-se a um balcão ACP.

Mas o que é a ficha de segurança?

A ficha de segurança é uma folha que indica todas as características estruturais do veículo, como pode ver numa das imagens deste texto, indica onde estão os airbags, onde se localizam os cintos de segurança, os dispositivos com gás comprimido, o deposito de combustível, etc.
Esta ficha tem um formato standard e é válida em toda a Europa, ainda que cada marca tenha a sua ficha e a forma de “cortar” e aceder ao carro, no caso de existir um acidente em que seja necessário desencarcerar a vítima.

Os principais problemas do desencarceramento

O facto de os carros novos serem mais seguros é muito melhor no momento do embate, mas no após acidente, apenas dificulta as equipas de socorro (diferentes tipos de combustível, airbags, materiais de construção, etc.). 40% dos desencarceramentos em veículos com 20 anos concretiza-se até 40 minutos. Já nos veículos fabricados há 5 anos, esse tempo é superior a 70 minutos.
É fundamental que as equipas de salvamento conheçam a marca, o modelo e o ano de fabrico do veículo para compreenderem os detalhes técnicos que afetam o desencarceramento, mas as equipas não são obrigadas a conhecerem todas as caraterísticas dos carros do mercado daí que a ficha de segurança seja tão importante.
Em 25% dos desencarceramentos não se identifica ou identifica-se mal o fabricante devido à violência do embate, em 45% o modelo e em 65% o ano de fabrico.

Em qualquer delegação do ACP ou www.acp.pt poderá ficar a saber mais sobre esta manual tão importante na segurança do seu veículo.

Fonte: ACP e blogs