O que fazer quando entra um inseto no carro durante a condução?

De certeza que já lhe aconteceu “lutar” dentro do habitáculo do carro, enquanto conduz, com uma vespa ou uma mosca, com um qualquer inseto que entrou a boleia no veículo. Por muitas recomendações e indicações que lhe dermos, a sua reação nunca será tranquila e sossegada. Ainda assim, o Circula Seguro vai tentar ajudá-lo a manter a calma caso este “infortúnio” lhe suceder.

Primeiro que tudo, devemos estar consciente que conduzimos um automóvel e que uma “guinada” ou perda de atenção na estrada podem levar a uma situação de perigo de consequências fatais. Ou seja, a picada que temíamos e que quisemos evitar será um mal menor…

Calma acima de tudo…

A primeira recomendação é a de inspecionar o habitáculo do veículo antes de se sentar e colocar o cinto. A todas as recomendaçoes iniciais como verificar os espelhos, a posição de condução e de nos assegurarmos que não existem elementos soltos no interior do veículo, devemos acrescentar o… verificar se existem bichos ou insetos a esvoaçar dentro do carro.
Isto será mais comum na primavera ou no verão, normalmente se tivermos estacionado em zonas próximas de um jardim ou de um campo florido…

Mas, às vezes estas verificações não são suficientes e só quando começamos a rolar é que o nosso “inimigo” se começa a mexer e dá sinal de vida. Assim que deteta um inseto esvoaçante no carro, devemos reduzir de imediato a velocidade, abrir as janelas e ligar o ar condicionado no máximo, convidando-o a sair. não se esqueça que as mãos devem permanecer no volante e a atenção na estrada.

E o nosso “pendura”?

Se viajamos com “pendura”, será idela que ele realizae pequenos movimentos de mãos tentando guiar o inseto até uma das janelas abertas. Todos estes gestos têm de ser feitos com suavidade e sem gerar qualquer tensão no bicho. O objetivo é evitar que se torne “violento” e nos possa picar, no caso de ser uma abelha ou vespa, ou que evite mexer-se para todo o lado.

Baixar a velocidade e abrir as janelas vai permitir que se criem correntes de ar que vão diminuir as forças que se criam no interior do habitáculo, facilintando o arrasto do inseto para o exterior do automóvel. Por seu lado, o ar condicionado ligado pretende criar um ambiente incómodo, forçando o bicho” a sair do habitáculo.

Pare em condições de segurança

A tendência logo que nos apercebemos da presença do inseto, é a deparar o carro com uma travagem brusca e sem olharmos em volta para perceber se travamos em segurança. Preste muita atenção à reação, pois se circular num ambiente de trãnsito pode provocar uma situação de perigo ou até mesmo um acidente.

O ideal seria parar num local em segurança, pois assim que pararmos e abrirmos as janelas, é normal que o inseto saia, mas tenha atenção para que não entre outro.

Foi picado…

O pior será se a vespa ou abelha nos picar. Por muito que doa, devemos manter a compostura e evitar reações violentas ao volante. Assim, force para aguentar a dor até chegar a uma zona de paragem segura para depois tratar da picada.

Foto: Pixabay