A caminho do hospital, os peões têm dificuldade em transitar

A caminho do hospital, os peões têm dificuldade de locomoção

Mais uma vez Coimbra, mais uma vez os peões, mais uma vez a dificuldade das pessoas transitarem em passeios que em nada privilegiam uma cidade capital de distrito, perto de um hospital central onde o fluxo de peões, em trânsito pedonal é de volume médio.

As características das vias na envolvência do Hospital Universitário em Coimbra têm características muito especiais, principalmente na entrada norte, do lado do Hospital Pediátrico. Para além de ser uma via onde o tráfego automóvel é elevado, o facto de não haver espaço suficiente para estacionar dentro das instalações do HUC, o briga a que ele se faça no seu exterior.

O risco é elevado no deficiente trânsito de peões

Na envolvência ao HUC, principalmente do lado do Hospital Pediátrico, a via de circulação é realizada em plano inclinado. Se para os veículos que por ali circulam não existe problema aparente, já para os peões a situação é totalmente diferente.

Com a falta de espaço de estacionamento no interior das instalações dos Hospital da Universidade de Coimbra, os utentes que de automóvel se deslocam ao local, ficam “obrigados” a estacionar as suas viaturas na via de circulação externa. Uma vez que o espaço para estacionar nessa via é inexistente, os condutores estacionam em cima do passeio. Tal faz com que os peões tenham que circular na faixa de rodagem.

Sabendo-se que no local se deslocam pessoas idosas, com elevadas dificuldades de mobilidade, o estado do passeio como é documentado na imagem e a ausência dele nas imediações imediatas, dificulta e eleva bastante o perigo de atropelamento. Serão, assim, dois pontos a ter em consideração pelas entidades e instituições conimbricenses; O estado degradado dos passeio ou a sua inexistência, assim como o espaço disponível para estacionamento dos utentes.