O cicloturismo e a segurança rodoviária

Cicloturismo e a segurança rodoviária

De há algum tempo a esta parte, a modalidade do cicloturismo tem ganhado cada vez mais adeptos. Com a “desculpa” de fugir à rotina do dia-a-dia de trabalho, muitos são os grupos organizados que se fazem à estrada em busca de quilómetros de pedaladas.

Em grande parte das vezes, estes grupos  de cicloturismo juntam-se ao fim de semana, em finais de tardes de sábado ou pela manhã de domingo ,bem cedo, e fazem-se à estrada, por quilómetros sem fim, trocando conversa de uma semana de experiências e muitas vezes banalidades.

 Cicloturismo na segurança rodoviária

Quando vão para a estrada, estes grupos, quando são grupos, fazem-se à estrada, muitas vezes sem o cuidado exigido de se circular de forma organizada, procurando não ocupar todo o espaço destinado à circulação de veículos, evitando desta forma o conflito rodoviário.

Com a mais actual legislação de circulação de velocípedes, muitos foram os utilizadores deste tipo de veículos que a interpretou erradamente e, faz da faixa de rodagem quase uma via reservada a bicicletas, quando na verdade não é assim.

Os grupos de cicloturismo, por vezes grupos de muitos elementos, avançam para a estrada com objectivos muito definidos de somarem quilómetros e mais quilómetros. Se é verdade que destro desses grupos de cicloturismo existem ciclistas que olham a segurança que os envolve, nomeadamente não circulando a par e mantendo uma distância de segurança entre si.

Mas, muitos outros há que na prática da modalidade, para além de não circularem junto ao lado direito, numa fila organizada quando utilizam o espaço comum, ainda se fazem acompanhar de auriculares que não lhes permite efectuar uma correcta recolha de estímulos auditivos, levando a que, por vezes, efectuem manobras inadequadas.

No entanto, também os demais condutores deverão estar atentos a este movimento dos grupos de cicloturismo, uma vez que também eles têm direito a ocupar uma parte da faixa de rodagem, uma vez que são utilizadores da mesma na sua mobilidade desportiva, cultural ou lúdica.

Os domingos de manhã, a circulação é mais perigosa, uma vez que os praticantes de cicloturismo correm o risco de encontrar pelo seu caminho condutores de automóveis ou motociclos que, vindo de uma noite de divertimento, poderão encontrar-se mais distraídos e desordeiros das regras básicas de segurança. É, assim, imperial que os ciclistas redobrem a sua atenção e que os condutores percebam a existência destes grupos organizados.

Foto¦ Smith