As mais inovadoras propostas para a condução autónoma (CES Las Vegas)

condução autónoma

O Salão CES de Las Vegas aconteceu no início de 2019. Um evento que não é só de tecnologia, mas conta também com as últimas novidades no que diz respeito à mobilidade. O carro autónomo transformou-se num protagonista habitual deste tema, com sistemas cada vez mais impressionantes. Espera-se que muitas destas tecnologias cheguem ao mercado durante a próxima década e que tragam consigo grandes benefícios para a segurança rodoviária.

E o CES é um cenário que os fabricantes de automóveis aproveitam para apresentar os seus avanços como se se tratasse de fogo de artifício e é aí que está a possibilidade de um dia a sinistralidade rodoviária se transformar numa exceção.

Nessa linha, foram muitas as empresas que apresentaram novos sistemas de infoentretenimento a um novo nível, o que proporciona a condução autónoma plena. Estes sistemas são um motivo de preocupação atual, por supor um fator de distração. No entanto, com a chegada da condução autónoma, o risco não só desaparecerá, como também o entretenimento a bordo terá uma nova dimensão.

Toyota Guardian, desenvolvido para evitar o acidente

Centrando-nos na esfera da segurança rodoviária e nas soluções mais diretas e imediatas, o sistema apresentado pela Toyota é uma das propostas mais interessantes. Batizado como Toyota Guardian, baseia-se numa tecnologia dirigida a etapas intermédias da condução autónoma, aquelas nas quais o condutor continua a tomar decisões e a tecnologia se limita à assistência.

condução autónoma

O fabricante japonês foca-se numa etapa mais próxima para resolver conflitos atuais que o carro autónomo enfrenta. Não nos podemos esquecer que são muitas as vozes oficiais que avisam que os sistemas de assistência e de condução autónoma se encontram ainda num período prematuro.

Com o Toyota Guardian, a empresa nipónica pretende esboçar um primeiro sistema de segurança inteligente no veículo, antes de pensar em ir mais além. Além disso, a intenção é que se possa aplicar de forma efetiva. Chega inspirado por um acidente, sem vítimas, que aconteceu na Califórnia e no qual estiveram implicados modelos da Toyota que estavam em testes.

Os engenheiros do fabricante tiveram em conta este acontecimento para o desenvolvimento do sistema, no qual o carro toma o controlo durante um tempo estabelecido para evitar acidentes fatais para condutores humanos. A tecnologia da Toyota seria capaz de prever, mais além do que as capacidades de um condutor humano, a situação de risco e reagir antes do que algo ou alguém. O sistema vai estrear-se em 2022, com o selo da Lexus.

Hyundai Elevate ao serviço do resgate

Fabricantes como a BMW avançaram também os seus sistemas de condução autónoma Vision iNext e apresentaram um protótipo de moto autónoma com a R1200 GS, confirmando que a condução autónoma também vai chegar para as duas rodas.

É, ainda assim, o protótipo Elevate que chama mais a atenção, uma inovação da Hyundau no CES. Um conceito que é mais um veículo espacial e marciano do que terrestre. Supondo uma visão mais futurista, traz uma perspetiva não tão explorada até ao momento, pela condução autónoma.

E o Hyundai Elevate pode ir mais longe do que os terrenos asfaltados, graças às rodas que se convertem em patas robóticas que permitem que o veículo caminhe ou, inclusivamente, escale. Esta conceção é especialmente útil no âmbito de superar riscos invernais ou de resgate. Como serviço de emergencia, poderia intervir em situações nas quais o acesso a um carro sinistrado é mais complicado.

Bosch, a proteger os condutores de motos e de camiões

condução autónoma

Num plano mais atual e pragmático, a Bosch apresentou no CES duas novidades muito interessantes para a segurança rodoviária. A primeira é um radar específico para aumentar a segurança das motos. Fá-lo proporcionando ao condutor uma imagem do ambiente em volta do veículo, com a possibilidade de atura por si próprio e em coordenação com o motor e com os travões, para evitar um acidente. A Bosch estima que este sistema possa prevenir um em cada sete acidentes de moto.

A outra novidade do fabricante alemão chama-se Mirror Cam e já está disponível para o camião Mercedes-Benz Actros. Consiste num sistema de visão de 360º, como o que já oferecem alguns modelos de carros, com câmaras digitais compactas que substituem os retrovisores. Deste modo, o condutor recebe na cabine a imagem em tempo real do que está a acontecer em seu redor. Mais, a Mirror Cam melhora a aerodinâmica ao despojar o camião dos retrovisores.

Como vemos, a segurança rodoviária do futuro saiu beneficiada após o último Salão CES. Prova disso são os muitos avanços tecnológicos que são aplicáveis já ou a um curto prazo. Veremos o que acontece com o resto, com as mais futuristas. Um bom exemplo é o carro autónomo que a General Motors introduzia em 2018 e que é esperado para este ano.

Imagens | Hyundai, Toyota e Bosch