Quando o turbo avaria

Turbo

Um turbocompressor, ou simplesmente turbo, força o ar a entrar na câmara de combustão de um motor para “torna-lo” mais potente. A instalação desta peça melhora o desempenho e aumenta a velocidade máxima e aceleração. Mas um turbo defeituoso pode levar a reparações caras.

Há uma série de sinais de alerta que indicam que é hora de substituir, ou na melhor das hipóteses reparar um turbocompressor. Estes sinais podem ajudar os proprietários de veículos com este tipo de motores (que atualmente são a maioria) a evitar perda de tempo e despesas.

Sinais de aviso de falha turbo

Há uma variedade de sintomas que são comummente associados a falhas do turbo. Analisar cuidadosamente o desempenho do veículo durante a condução ajuda os proprietários a detetar irregularidades e a diagnosticar problemas deste componente. A redução da capacidade de aceleração é um dos sintomas mais habituais de um turbo com falhas.

O veículo não consegue acelerar rapidamente ou não consegue produzir a quantidade usual de energia. Quando os condutores estão habituados a operar esse veículo, notam as falhas. Outro sintoma que pode detetar é um excesso de gases de escape, ou até um fumo acinzentado que é expulso pelo tubo de escape.

Pode ser provocado por um simples vedante defeituoso, ou uma fenda na caixa do turbocompressor. Ambos podem causar um derrame de óleo para o sistema de escape, o que produz esses gases que não são comuns. Se for este último caso é sinal de que está na hora de adquirir um novo turbo.

Esteja atento às luzes de aviso

Em muitos casos, os sensores do motor conseguem detetar atempadamente uma falha neste elemento, acendendo a luz de avaria do motor. Sempre que este sinal se acende deverá parar o mais rápido possível, sempre em segurança, e verificar o motivo desta luz de alarme. Uma luz de aviso do motor acesa deve ser sempre alvo de uma inspeção adicional e cuidada.

Muitos motores turbo possuem um indicador de pressão, que mostra a “força” que este está a produzir. Se essa pressão não corresponde ao impulso sentido, pode ter a ver com falhas nas tubagens ou no próprio elemento. Quando um turbo falha, pode produzir um ruído quando está a rodar para criar a pressão.

O ruído vem diretamente do compartimento do motor e soa como uma sirene ou um grito alto, que tende a ser mais audível à medida que o problema aumenta. Naturalmente que qualquer ruído fora do normal convém investigar, especialmente se vem da zona do motor.

Causas comuns da falha

Um turbo pode falhar por várias razões e são necessários exames minuciosos e diagnósticos de despistagem.  Existem alguns problemas habituais que causam danos no turbo e a eventual falha deste. Pequenas partículas ou objetos, como folhas ou pequenas pedras, podem entrar no componente através da entrada de ar. Especialmente se o filtro de ar não conseguir fazer o seu trabalho.

A acumulação de detritos pode causar abrasão da roda do compressor ou danificar as lâminas da turbina, diminuindo o desempenho do turbo. Rachas ou vedantes defeituosos na ligação entre o motor e o turbo significam que este trabalha em alta rotação sem conseguir ser eficiente. Não conseguindo criar pressão e forçar o ar a entrar no motor.

A importância do óleo

O óleo do motor é o seu sangue, e sem ele o turbo simplesmente não poderia funcionar. O óleo desempenha a função de lubrificar os vários componentes móveis do motor. Com respeito a um turbo, isto significa o conjunto do eixo principal e respetivos rolamentos, sobre o qual as pás do compressor e da turbina estão montadas.

O óleo limpo oferece ao turbo um correto nível de lubrificação. O óleo excessivamente usado, ou que contém uma abundância de contaminantes, pode causar danos ao turbo. O não trocar o óleo com regularidade ou do respetivo filtro, pode causar a acumulação de depósitos de carbono, o que impede que o turbo funcione corretamente.

Os turbos trabalham a mais de 240.000 rpm, são mais de 4.000 rotações por segundo!!! E estão dependentes de uma camada extremamente fina de óleo, preparado para suportar uma alta pressão. É o que evita o contacto direto entre o eixo e a caixa externa. Porém estas velocidades resultam numa acumulação de calor muito rápida.

A outra função do óleo é transferir essa acumulação de calor para longe dos componentes. Assim, evita que as temperaturas subam ao nível que causariam problemas estruturais nos materiais ou causariam uma falha mecânica catastrófica do turbo.

Se o fornecimento de óleo do motor for limitado, mesmo momentaneamente, durante o funcionamento a alta velocidade, a acumulação resultante do calor pode levar ao bloqueio do eixo. O que pode destruir o turbocompressor dentro de uma questão de segundos.

Duração expectável para um turbo

Mesmo com manutenção e cuidados adequados, um turbo sofre desgaste ao longo do tempo. A vida útil deste componente depende muito dos hábitos de condução do proprietário do carro. Mas também da qualidade do próprio turbo e da qualidade e frequência de troca do lubrificante usado.

A “esperança de vida” deste componente normalmente ronda os 120 mil quilômetros. No entanto, pode verificar as informações do fabricante do seu veículo sobre a vida expectável especificamente para o turbo do seu veículo. Não facilite, poupe a mecanica e o seu dinheiro.

Foto | Wiki Honda Collection