Quem não gosta do cheiro a carro novo? Fique a saber que é mau para a saúde

Carro novo - CS

Um carro novo é uma fonte de odores que, para uns, são agradáveis porque associados a algo saído da fábrica e a estrear, mas para outros dá dor de cabeça ou náusea garantida.

Quem tem mais razão? Provavelmente quem não gosta do cheiro, porque na verdade os agentes químicos que o provocam não fazem bem nenhum à saúde. Assim, já sabe: se comprou carro e sente o forte cheiro a novo, abra os vidros sempre que possível até que os vapores nocivos desapareçam, o que geralmente acontece cerca de dois meses depois do fabrico.

Aqui fica um resumo do tipo de químicos que provocam o tal cheiro a novo:

Cada carro tem o seu próprio “perfume” de fábrica. Podem exalar cheiro intenso ou ligeiro e o próprio odor é variável. Em todo o caso, o cheiro que detetamos provém de compostos orgânicos voláteis, onde podem estar envolvidos cerca de uma centena de químicos, incluindo os tóxicos benzeno e formaldeído. Os falatos, também tóxicos, não têm cheiro por não serem voláteis, mas também estão presentes nos novos habitáculos.

Interior de carro - CS

São os plásticos e todos os outros materiais derivados do petróleo que produzem estes nefastos cheiros, tais como os bancos, tapetes e alcatifas, tablier, assim como os solventes e colas utilizados na fixação dos diversos painéis e peças.

Todos estes produtos têm potenciais efeitos negativos na saúde e que vão desde uma dor de cabeça, náusea ou garganta seca, ao cancro ou desordens do sistema imunitário.

Tanto os plásticos como os forros em couro emitem cheiros destes, por isso não dá para nos livrarmos deles através da lista de equipamentos opcionais. O que fazer então para proteger a nossa saúde?

Os próprios fabricantes, sensíveis ao problema e interessados em proteger a saúde dos seus clientes, tentam minimizar estes vapores. O próprio utilizador do veículo também pode assumir algumas medidas de proteção que aqui descrevemos:

 

1 – Garantir sempre ar fresco no habitáculo, em especial se houver grávidas ou crianças pequenas a bordo

2 – Nos primeiros dois meses de “vida” do carro, abrir sempre os vidros ao entrar para renovar o ar interior

3 -Se tiver garagem, deixe o carro estacionado com os vidros ligeiramente abertos

4 -Durante a condução, evite manter o botão da recirculação ligado. Aceite sempre o ar exterior, seja pelo sistema de climatização, seja pelos vidros

5 – Manter o carro em local fresco ajuda bastante, pois a maior parte das reações químicas ocorre com mais intensidade com calor

6 -Se tiver que estacionar ao sol, utilize um refletor solar para que a temperatura interior não suba tanto

7 -Evite utilizar produtos de proteção de plásticos e alcatifas porque estes também contêm químicos voláteis

Fonte: Sapo Turbo