Saiba quando a embraiagem está desgastada

 

Depois de lhe termos revelados alguns dos componentes que mais se desgastam num automóvel, aprofundamos agora o tema sobre um desses órgãos em particular: a embraiagem.


Cada vez que precisa de realizar passagens de caixa no seu carro, necessita de carregar a fundo no pedal do lado direito que aciona a embraiagem. A embraiagem é um dos elementos principais do veículo já que é a responsável pela ligação do motor à caixa de velocidades. Este órgão permite ao condutor a introdução de mudanças de velocidade que se destinam a arrancar, aumentar ou reduzir a marcha do seu veículo. Esta é uma das peças do veículo que tem maior desgaste uma vez que se encontra em constante movimento. Então, se um determinado veículo realizar muitos percursos de pára-arranca, o movimento da embraiagem é constante, acelerando o seu desgaste.
A duração de um disco de embraiagem é longa, mas pode ser ainda mais longa se tivermos determinado tipo de cuidados que vão permitir aumentar a sua vida útil.
Ao premir-se a embraiagem alivia-se o contacto entre o disco de embraiagem e o volante do motor, poupando, desta forma, energia da bateria e do motor de arranque. Quando se conduz e se coloca uma velocidade errada, por exemplo, uma terceira quando o motor precisava de uma quarta, isso obriga a um esforço redobrado da cambota, pois esta é obrigada a “acelerar” o seu funcionamento para acompanhar a velocidade real do veículo. Ora, isto pode levar a um desgaste prematuro do disco da embraiagem e obrigar à sua substituição, que é deveras dispendiosa.

Uma embraiagem é trocada entre os 120 000 km e os 180 000 km, no entanto, pode ter de ser substituída na mesma ao fim de apenas 40 000 km, tudo depende do seu estilo de condução. Faça uma revisão constante ao seu automóvel, só assim consegue poupar muito dinheiro na sua manutenção. Deixamos-lhe alguns sintomas e dicas que não deve fazer de forma a avaliar o estado da embraiagem do seu automóvel.

O que é a embraiagem?

É o elemento que transmite a rotação do volante do motor às engrenagens da caixa de velocidades, que por sua vez a passa para o diferencial através do eixo. A transmissão entre o volante, elemento que se encontra fixo à cambota, e a caixa de velocidades, acontece sempre que se pressiona o disco de embraiagem – prato de pressão. A ligação existente entre o disco e o volante deve ser suficientemente forte de forma a não se verificar a patinagem da embraiagem contra o volante do motor. Ao premir-se a embraiagem, alivia-se o contacto entre o disco de embraiagem e o volante do motor, situação que interrompe a passagem de energia para a caixa de velocidades.

O pedal rígido

Se colocar o pé na embraiagem com o carro a trabalhar e perceber que esta está dura, poderá ser um sintoma de que a embraiagem está danificada. Faça uma verificação

Não descanse o pé…

… em cima da embraiagem. Utilize-a apenas para realizar as passagens de caixa. Ao descansar o pé na embraiagem provoca um aquecimento do sistema e um desgaste prematuro dos componentes.

Ponto de embraiagem

É um dos testes que é preciso dominar no exame de condução, mas saiba que o ponto de embraiagem é prejudicial. O equilíbrio entre a pressão na embraiagem e no acelerador, acaba por não favorecer a saúde dos componentes da primeira. Utilize o travão de mão sempre que possível

Carga do veículo

Respeite os limites de carga impostos pelo fabricante do seu automóvel. A carga em excesso pode afetar o funcionamento da embraiagem, uma vez que nos arranques será preciso uma utilização mais extrema da mesma.

Arranques em segunda

Evite arrancar em segunda, a não ser que o veículo siga muito “embalado”. O arranque em segunda obriga a um desgaste extra dos componentes da embraiagem e também a um aumento do consumo de combustível.

“Toques” de embraiagem

Quem nunca os fez para tentar tirar mais partido do veículo. Em aceleração, se pressionarmos e largarmos a embraiagem, temos aquela sensação que o motor ganha outra disponibilidade. Puro erro, este tipo de prática contribui para o desgaste prematuro da embraiagem.