A moto e a bicicleta podem ser a alternativa durante o desconfinamento

Miguel Alves

3 June, 2020

No âmbito da emergência de saúde pública de âmbito internacional causada pela doença COVID-19, o Governo aprovou o Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, no qual foram estabelecidas medidas excecionais relativas àquela situação epidemiológica.

No período de tempo decorrido desde a adoção destas medidas excecionais foi igualmente decretado – e renovado por duas vezes – o Estado de Emergência em Portugal, o que levou à aprovação de três decretos do Governo com vista à sua regulamentação.

Não obstante o fim da vigência do Estado de Emergência, previsto no Decreto n.º 2-C/2020, de 17 de abril, a continuação do surgimento de casos de contágio em Portugal e à imprevisibilidade quanto ao momento final da pandemia continua a impor a aplicação de medidas extraordinárias que garantam uma resposta capaz à doença COVID-19.

Bicicleta y coronavirus

O lento e gradual levantamento das medidas de confinamento tem de ser acompanhado das necessárias medidas de distanciamento social ditadas pelo Estado de Calamidade que vivemos (declarado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 33-A/2020 e renovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 38/2020), pelo que a utilização dos motociclos pode ganhar, neste contexto, interesse acrescido.

Na Resolução do Conselho de Ministros n.º 33-A/2020 era dito que “a população deve procurar cumprir um dever cívico de recolhimento domiciliário, dando primazia às atividades, decisões e deslocações que não impliquem um contato social alargado”.

Porém, neste momento já não vigoram regras de condicionamento à circulação, como chegou a existir durante o Estado de Emergência.

De qualquer forma, alguns especialistas têm insistido na adequação dos motociclos ou das bicicletas no novo cenário do transporte urbano.
Um aumento no uso do carro particular levará a um aumento dos níveis de poluição e emissões de CO2, com as consequências perigosas que se conhecem para o ambiente e saúde, tanto mais que há alguns estudos que já apontam para o facto da contaminação por COVID-19 poder ganhar dimensão quando a própria poluição atmosférica é maior.

Duas rodas, uma alternativa interessante

Diante disso, motos, bicicletas e veículos de micromobilidade ou VMP (Veículos de Mobilidade Pessoal, onde se incluem scooters elétricas, hoverboards e segways) parecem uma alternativa muito interessante neste tempo de pandemia.

E a questão do risco de contágio numa eventual partilha deste género de veículos individuais, parece estar minimizado, dado que as empresas de ridesharing e motosharing estão a tomar todas as precauções e a assumir regras apertadas de higienização para garantir que cada novo utilizador tem a sua moto perfeitamente limpa e segura.

BiciMad

Deste modo, as duas rodas poderiam ajudar a reconciliar metas de mobilidade sustentável (menos poluição) com prioridades de mobilidade segura e saudável em tempos de coronavírus.

Limpe e desinfete a moto

Sempre que utilizar a sua moto, deverá também adotar algumas regras especiais, neste tempo de pandemia.

Como meio de transporte, a moto pode ser exposta a vários ambientes onde a COVID-19 pode existir. Uma desinfeção eficaz contra o vírus não implica necessariamente o uso de produtos domésticos com um alto nível de toxicidade.

Limpieza moto

É suficiente fazer essa desinfeção com soluções alcoólicas que excedam 70% ou limpar com água e alguns tipos de sabão. Isso não só favorece a nossa saúde, mas também a do motociclo. As superfície de contacto devem merecer atenção particular nos cuidados de limpeza que tivermos, como é o caso do guiador, bancos ou espelhos.

Antes e após a limpeza, uma lavagem completa das mãos deve ser feita. Depois disso, também é importante lavar os materiais usados na limpeza, como panos. Da mesma forma, é essencial higienizar luvas e capacete. Existem soluções diferentes, dependendo do tipo de capacete que usamos para desinfetar o interior ou limpar a tela, mas é uma tarefa a não negligenciar.

Outra regra importante que já devia estar instituída (pela maior segurança que traz) e que sai reforçada nesta situação de pandemia é a utilização de capacete integral, com a viseira posta (fechado, portanto).

Imagens| iStock/jaksa95iStock/Space_CatiStock/mediamasmedia e iStock/AndresGarciaM

--

Uma iniciativa da: