Para que servem os arbustos no meio das autoestradas?

Ines Carmo

13 August, 2020

Os loendros ou Nerium oleander (o seu nome científico, no singular) são plantas que convivem em zonas ajardinadas e em muitas das nossas estradas. Uma planta que se adapta muito facilmente a qualquer tipo de solo e, além disso, o seu baixo custo faz com que seja colocada no meio de muitas das nossas autoestradas (AE). Diz-se que são plantas que adornam qualquer cenário quando estão bem cuidadas e podadas e inclusivamente que são venenosas e podem mesmo provocar paragens cardíacas. Mas, sem nos desviarmos do tema de hoje, falemos da sua funcionalidade, são necessários loendros nas nossas estradas? Para que servem? Que inconvenientes têm?

Não só para decorar: para que servem os loendros nas AE?

A razão da utilização de loendros no meio das autoestradas não é meramente decorativa. Os loendros, durante o seu crescimento, cobrem rapidamente o espaço divisório entre estradas ou sentidos de circulação. Em concreto, ao separar os sentidos de marcha, melhora-se o fluxo de trânsito e eliminam-se as colisões frontais. Por outro lado, separam visualmente as correntes de circulação em ambos os sentidos e evitam os encandeamentos de noite, provocados pelos faróis dos veículos que se cruzam connosco.

Outra vantagem dos loendros é o efeito amortizador de impacto face a um despiste de qualquer veículo para o meio da via. A invasão do sentido contrário vê-se interrompida, em parte, pela presença de arbustos, que poderão evitar o seguimento brusco do veículo numa trajetória descontrolada. Em todo o caso, os loendros reduzem a severidade do impacto, absorvendo uma parte da energia cinética do veículo e ao restabelecendo a sua trajetória. Portanto, a plantação de loendros é feita tendo em conta a sua qualidade, bem como a sua localização, para se adaptar aos planos de segurança rodoviária, orientação para o condutor e visibilidade, especialmente nas intersecções e curvas.

Alguns inconvenientes…

loendros

Nas bermas e nos meios das estradas os matagais ou arbustos que acompanham os loendros poderiam considerar-se perigosos quando os seus ramos adquirem certa robustez. Está demonstrado que quando se circula a velocidades superiores a 50km/h, o impacto de qualquer veículo contra partes fixas da via, ainda que sejam naturais, provoca danos consideráveis, não só materiais, mas também pessoais. Por outro lado, a rigidez dos loendros não teria o nível de contenção desejado, caso se encontrem perto da berma da estrada ou se estiverem protegidas com as barreiras laterais metálicas de segurança, os rails. No entanto, a colocação destas plantas não deveria ter apenas em conta a robustez, mas também a sua orientação, pois os seus ramos poderiam ocasionar mais danos, face a uma simples saída gradual da via.

O abandono da manutenção dos loendros provocaria a invasão da zona asfaltada e, em consequência, as obstruções visuais sobre o terreno e a perda de visibilidade dos condutores. Além disso, parte desses ramos poderiam ocultar os sinais verticais da estrada. Não podemos esquecer-nos de que as suas raízes podem crescer e afetar o solo alcatroado, criando lombas potencialmente perigosas para a condução.

Onde plantar?

A plantação de loendros tem de permitir a vista da paisagem e evitar o efeito túnel nos condutores, pelo que também deve ter troços de forma descontínua para evitar a aparição repentina e reação violenta do condutor perante animais soltos.

A característica principal que define o comportamento de qualquer tipo de sistema de contenção de veículos é a sua capacidade e impedir que um veículo saída da via e evite o impacto contra qualquer obstáculo. Esta capacidade avalia-se mediante o ensaio dos sistemas de contenção com diferentes tipos de impacto com veículos. Para o caso que nos ocupa, os loendros não são atenuadores de impacto, nem faixas de travagem face a uma emergência porque não existem ensaios sobre a sua composição e conveniência.

Pois bem, chegados a este ponto, três argumentos a favor e outros três contra. Pode ser que existam mais, mas ficamos com os mais importantes. A questão é refletir sobre os loendros, a sua conveniência ou não, para melhorar, se for possível, a segurança rodoviária nas nossas estradas.

Fonte: CirculaSeguro.com

 

--

Uma iniciativa da: