A importância dos faróis de nevoeiro: tê-los e saber usá-los

Ines Carmo

10 December, 2020

Quantas vezes passou por um carro que mal se via na estrada, por não ter os faróis de nevoeiro ligado? Ou, pelo contrário, quantas vezes passou por um carro de luzes ligadas desnecessariamente?

É possível substituir os faróis de nevoeiro?

Os faróis de nevoeiro são úteis, necessários e não podem ser substituídos por uns mais modernos, seja de xénon ou LED. Algo que surge porque há modelos que, ao montar faróis de xénon, incompreensivelmente prescindem dos faróis de nevoeiro.

Os médios ou os mínimos de faróis de halogénio não substituem a luz dos faróis de nevoeiro, que também não é substituída se os faróis forem de xénon ou de LED, por superior que seja a luz que estas tecnologias projetam. Em caso de neblina acenderíamos os médios, mas não teríamos a mesma qualidade de ilminação do que se tivéssemos luz de nevoeiro.

A névoa na condução

nevoeiro

A névoa é um fenómeno meteorológico que consiste na suspensão de gotas muito finas de água no ar, normalmente devido a uma humidade elevada e uma temperatura ambiente fria. Por outras palavras, é uma nuvem baixa junto ao solo.

A névoa dificulta a visibilidade porque os nossos olhos têm que ver através dessa infinidade de pequenas gotas de água. E o mesmo sucede quando há chuva intensa, neste caso com gotas de água maiores, claro, entre os nossos olhos e o que queremos ver.

O que são exatamente os faróis de nevoeiro?

Pois para tentar ver e para que nos vejam um pouco melhor, os engenheiros trataram, já há algum tempo, de pensar em que tipo de farol e de luz podiam fazer, de forma a que o feixe atravesse melhor essas gotas de água em suspensão e ilumine um pouco melhor a estrada. E assim surgiram os faróis de nevoeiro.

Como funcionam exatamente

Tanto a lâmpada como o próprio farol (o refletor que dá forma e projeta o feixe de luz), são desenhados para que o feixe de luz atravesse um pouco mais a névoa e ilumine um pouco melhor o carril. Este feixe de luz é mais intenso do que a luz dos médios. Além disso, tem uma orientação mais baixa e larga.

Para que servem os faróis de nevoeiro

Ainda que a névoa não seja um fenómeno que se encontre diariamente na estrada, nas zonas mais húmidas e frias ou junto ao mar costumam ter mais dias de névoa que as zonas quentes e secas. Nesses locais, os faróis de nevoeiro são muito úteis,

Se tivermos faróis de nevoeiro dianteiros no nosso automóvel, não nos devemos esquecer quando é que os devemos usar. A luz dos faróis de nevoeiro, quando não há névoa, nem chuva, encandeia bastante, pelo que se os levamos acesos, estamos a incomodar e, até, a pôr em risco outros condutores. Podem ficar sem visibilidade durante uns segundos devido ao encandeamento produzido com os riscos de segurança que pressupõe.

Luzes de nevoeiro traseiras e dianteiras

A luz de nevoeiro dianteira acende-se apenas em três ocasiões:

  • Primeiro, que haja neblina, tanto mais quanto mais espessa esta seja.
  • Segundo, quando há chuva intensa, quando está a nevar ou quando há nuvens de pó ou de fumo.
  • Terceiro, se se circula de noite por uma estrada estreita, com curvas de pouca visibilidade (com o correspondente sinal de curvas perigosas), podem ter-se os faróis de nevoeiro ligados.

Se a neblina é muito densa e a chuva, neve ou nuvem de pó ou fumo é muito intensa e reduz drasticamente a visibilidade, deve também aceder a luz traseira de nevoeiro, de cor vermelha intensa. Sem neblina, a luz encandeia e incomoda muito quem está atrás.

Há que saber exatamente onde está localizado o interruptor das luzes, para acender e apagar facilmente os faróis de nevoeiro. Quando não houver nevoeiro, nem chuva, nem esteja a nevar ou haja uma nuvem de pó ou fumo, é preciso ter a luz de nevoeiro apagada.

Primeiro liga-se a traseira e, quando diminuir a densidade, liga-se a traseira. É um ato que o nosso cérebro tem que fazer automaticamente, tal como baixamos os máximos, conforme nos cruzamos com outro veículo. Em condições normais não se pode circular com as luzes de nevoeiro, pois estamos a encandear outros condutores.

Luzes de nevoeiro brancas ou amarelas: qual é melhor, quando e porquê?

Ainda que na atualidade relacionemos os faróis de nevoeiro com um feixe de luz branca, muitos condutores podem ter em mente um feixe de tonalidade amarela.

Este tipo de cor para os faróis de nevoeiro teve a sua época dourada nos anos 80 e 90 do século passado. De facto, a efetividade do feixe amarelo é muito maior. Aumenta a visibilidade e, sobretudo, ser visto. Agora, este tipo de faróis foi proibido para os automóveis do novo milénio. Na atualidade, só se podem estar nos modelos matriculados antes de agosto de 1999. Porque foi censurado, se era um mecanismo mais efetivo para a visibilidade? A explicação tem a ver com o uso indevido dos faróis de nevoeiro que comentámos anteriormente. A luz amarela é muito útil em condições adversas, mas se se usa em condições de boa visibilidade, encandeiam ainda mais do que as brancas e traz um risco acrescido.

Uso correto dos faróis de nevoeiro

É por este motivo que se deve ter muito presente que tipo iluminação está ativa em cada momento. Se nos dermos conta, no quadro de instrumentos do veículo ligam-se os sinais correspondentes a cada uma destas luzes: verde para a dianteira e amarelo para a traseira.

Como nos recorda a Fundação MAPFRE, os faróis de nevoeiro só se utilizam quando são necessários. Não há desculpas. No caso dos faróis de nevoeiro, é possível constatar que a segurança não depende apenas do equipamento e tecnologia em geral, mas sim do uso que lhe damos.

Fonte: www.CirculaSeguro.com

Imagens | iStock/vrcraftiStock/AnskiiStock/welcomia e iStock/mikdam

Etiquetas

Nevoeiro
--

Uma iniciativa da: