Como conduzir de moto com chuva

Ines Carmo

23 October, 2020

Andar de moto em dias de chuva é um risco que devemos evitar, ainda que nem sempre isso seja possível. Há dias em que, pela nossa rotina e circunstâncias, nos vemos obrigados a conduzir à chuva ou que a chuva nos apanha na estrada. Além do incómodo de conduzir molhado, a aderência dos pneus diminui entre 20 a 30%, o que nos obriga a tomar medidas de prevenção.

O equilíbrio é um dos pontos chave para conduzir com segurança numa moto à chuva. Independentemente da manobra que tenha que fazer, a sua moto deve estar o mais direita possível, para evitar deslizamentos inesperados. Esteja a travar, a curvar ou a atravessar uma zona encharcada, é imprescindível que o faça na perpendicular no asfalto.

Use sempre o travão traseiro se conduzir à chuva

No momento de travar uma moto com a estrada molhada pela chuva, deve recordar três regras de segurança: antecipação, suavidade e progressão. Neste aspeto, o travão traseiro ganha protagonismo, dado que é aquele que nos proporciona uma travagem mais controlada e efetiva. O travão da frente, ao ter que suportar a força da travagem e o peso do nosso corpo sobre a roda, é mais provável que tenda a patinar.

A melhor combinação para uma travagem com aderência é utilizar a embraiagem e travar com o motor num primeiro momento, usando o travão traseiro para finalizar e parar completamente. Apesar de o travão da frente ser o mais utilizado pelos motociclistas, neste caso é mais arriscado e deve habituar-se a confiar mais no traseiro.

O mais seguro é manter uma distância de segurança com o dobro do espaço normal, uns 100 metros, por dois motivos: ganhar tempo para reagir com antecipação e evitar ser sacudido pela água das rodas do carro que vai à nossa frente. Se estivermos em curva, a recomendação é de travar antecipadamente, para reduzir a velocidade antes de lá chegar e nunca fazê-lo quando já esteja a curvar ou a sair da curva.

moto à chuva

No asfalto molhado e no alcatrão: não inclinar a moto

Grande parte da nossa segurança em cima de uma moto baseia-se no estado dos pneus e no estado da via. Numa estrada molhada os pneus perdem alguma aderência, ainda que o maior inimigo nestas circunstâncias seja o alcatrão e o desgaste da estrada.

As manchas de combustível, junto com chuva intensa, são difíceis de localizar (e evitar) a velocidades mais elevadas, de maneira que conduzir de forma preventiva e uma velocidade mais baixa e estável pode ajudar-nos a não perder a concentração.

O asfalto é composto por um aglomerado de pedras e fragmentos de outros materiais que, com a passagem do tempo, se vão polindo e compactando. Desta forma, deixa de drenar adequadamente a água e isso reduz a nossa tração sobre as duas rodas.

Por tudo isso e como solução mais eficaz, o melhor para aumentar a aderência quando chove é tão simples como não inclinar excessivamente a nossa moto. Quanto maior seja a superfície do pneumático em contacto com o solo, menor será a probabilidade de cair.

Como atravessar charcos

moto à chuva

Sempre que seja possível, tente evitar passar com a moto por cima de uma poça de água. A verdade é que não sabe o que está lá de baixo: lombas, tampas de esgoto, grelhas ou até buracos maiores do que esperamos. Lembre-se que a largura de uma poça não determina a sua capacidade.

Mas se não tiver outra hipótese, tente manter a moto o mais vertical possível, segurando com força no guiador sem nunca alterar a velocidade. Acelerar ou travar a meio de uma poça de água vai aumentar as possibilidades de sofrer aquaplaning, o que desestabiliza muito a nossa moto.

Equipamento

Uma das medidas que pode aumentar a segurança em cima da moto quando chove é ter o equipamento correto. Neste sentido, deve dar primazia à visibilidade e à proteção sobre a comodidade. Existem roupas especiais para água de uma ou duas peças, ainda que possa encontrar casacos e luvas impermeáveis que exercem a mesma função.

Em qualquer caso, a nossa roupa deve ter proteções, pois a possibilidade de sofrer um acidente em pisco molhado é mais elevada do que em piso seco: proteção de coluna, de joelhos, faixa lombar, peito, espuma na zona das ancas e cóccix, etc. além disso – e para garantir que os outros utilizadores da estrada nos veem – devemos ter vários elementos refletores.

Procure viseiras repelentes de água para o capacete, para evitar que embaciem. Para tal, é imprescindível usar um kit de produtos para aplicar na viseira. Se também quiser chegar mais ou menos apresentável ao trabalho, recomendamos ainda a utilização de uma proteção para as pernas (exclusivo para as scooters) que, além de o manter seco, também protegerá do frio.

Como são os pneus de moto adequados?

moto à chuva

A manutenção da moto é sempre essencial, mas é em piso molhado que a sua importância salta à vista de todos. A mais recente tecnologia em segurança ativa em motos (ABS, controlo de tração, etc.) dão-nos alguma tranquilidade, mas os grande protagonistas são sempre os pneus.

Um pneu sem sulco não tem capacidade de expelir água por muito que tenha a pressão adequada e vice-versa. Nunca é conveniente prolongar a vida útil de um pneu ou das pastilhas de travão para poupar algum dinheiro. Estes dois elementos (juntamente com o líquido dos travões) são a chave para conduzir de moto com chuva.

Nos pneus de chuva faz diferença não só a profundidade do piso dos pneus como também a sua composição. Os melhores para água devem ser elásticos e moles, com um piso profundo que drene de forma eficaz o caminho por onde passa. A Michelin disponibiliza a sua gama para chuva com os Michelin Road 5 que têm boas avaliações e excelentes resultados na aderência com inclinação.

Fonte: CirculaSeguro.com

Imagens: iStock Larysa Shcherbyna chokchaipoomichaiya jaboo2foto

--

Uma iniciativa da: