Caraterísticas que melhoram os carros

Duarte Paulo

3 November, 2020

As caraterísticas de cada veículo determinam o seu comportamento.

Algumas caraterísticas e sistemas permitem que um determinado veículo se destaque de outro. Mesmo quando as caraterísticas intrínsecas do próprio projeto são boas existe a necessidade, legal e de competitividade, de adicionar sistemas melhorando a segurança do veículo. Descubra quais as caraterísticas que tornam os carros melhores.

O que se pode considerar como as caraterísticas de base, englobam a própria estrutura do veículo, que se pretende que seja rígida. Quando ao motor deve ser “adequado”, entenda-se com potência e binário suficientes para deslocar com celeridade a massa do veículo. Com isso entende-se que tenha com um bom rácio peso/potência/binário.

Enquanto a suspensão deve permitir a maximização da tração, pois sem tração não existe segurança. De forma a dar resposta a todos este fatores os fabricantes de automóveis desenvolveram vários componentes e sistemas tecnológicos. Mas os veículos devem ser capazes de atingir, com desembaraço, uma velocidade de cruzeiro em autoestrada, e ainda, permitir que percorram as curvas de forma segura.

Caraterísticas que melhoram os carros

As caraterísticas descritas acima são genericamente as que farão o seu carro mais seguro e eficaz. Assim, ao comprar o próximo carro novo, escolha níveis de acabamento que disponibilizem os sistemas abaixo descritos de forma mais esmiuçada. Quer sejam de origem ou através de opções extra, que incluam esses recursos. Naturalmente, caso o veículo que escolheu os disponibilize e caso seja financeiramente compatível com as suas disponibilidades,

Diferenciais de deslizamento limitado

Os diferenciais permitem que as rodas girem em velocidades diferentes. Se as rodas estivessem ligadas diretamente, numa curva, a roda interna seria arrastada porque o raio de cada pneu percorre é diferente. Num diferencial normal, aberto, a potência flui para a roda com a menor resistência. Isso significa que, numa subida, se uma das rodas de tração está numa zona do piso molhado e outra no seco é provável que o veículo não se desloque, pois, a roda que está na zona molhada irá patinar.

A resposta para este problema é a instalação dum diferencial de deslizamento limitado, que envia energia para a outra roda quando uma delas começa a patinar. Este componente também é conhecido pelo acrónimo LSD (Limited Slip Diferencial). Existem diversos tipos, podem funcionar mecanicamente (por meio de engrenagens, embraiagens ou acoplamentos viscosos) ou eletronicamente. A existência deste sistema ajuda a curvar com muito mais eficiência.

Os diferenciais desempenham um papel crucial na capacidade de descrever uma curva

Vectorização do binário

Os carros mais avançados possuem vectorização do binário. Este tipo de sistema permite conduzir como se o veículo estivesse sobre carris. Existem vários tipos de sistemas de vectorização de binário, mecânicos e que utilizam os travões. O último usa o sistema ABS para direcionar a roda traseira interna numa curva para ajudar o veículo a girar sobre o seu eixo.

Um sistema mecânico é mais eficaz. Ele normalmente usa embraiagens em ambos os lados do diferencial traseiro para enviar mais, ou toda, a potência disponível para a roda externa numa curva. Algumas opções optam por travar a roda traseira interna também. Todas estes “truques” resultam num carro que faz a curva num raio mais pequeno, de forma mais incisiva.

Este sistema é muito útil, em especial em viaturas de competição, pois permite que o condutor acelere mais cedo na saída da curva, e permite também percorrê-la de forma mais rápida. Numa pista essa pode ser a fórmula para tempos de volta mais rápidos. Os motores elétricos, quer em veículos elétricos quer em híbridos, também fornecem vectorização de binário de forma muito eficaz.

A vetorização do binário permite que os veículos circulem como se estivessem sobre carris

Audi, Lexus, Mercedes-AMG e Porsche estão entre os fabricantes com sistemas eficazes de vectorização de binário mecânico. Já a Acura, Koeniggsegg, Polestar, Rimac, Audi e Porsche (sim, estas duas últimas estão nos dois grupos), usam motores elétricos para criar vetorização de binário.

4 rodas direcionais

A utilização de mecanismos de direção das rodas traseiras é uma ideia bastante simples. Atuadores mecânicos, controlados eletricamente, orientam as rodas traseiras, normalmente até 2-3 graus em oposição às da frente em baixas velocidades e com na mesma direção das da frente em velocidades mais elevadas.

O movimento a baixa velocidade simula o encurtar da distância entre eixos, ajudando nas manobras apertadas do estacionamento e encurta o círculo de viragem. O inverso acontece a alta velocidade, onde criam melhor estabilidade por simular um aumento da distância entre eixos.

Esses sistemas geralmente mudam a “filosofia” de funcionamento entre os 70 a 100 km/h. Assim, uma das maiores vantagens ocorre ao abordar curvas mais fechadas durante a condução em autoestrada. Na condução normal o benefício maior é nas curvas fechadas ou em sequências de curvas duma estrada de montanha.

Amortecedores ajustáveis

Quanto mais rígida a suspensão (até determinado ponto), melhor será o desempenho do carro em curva. Mas ninguém quer conduzir carros que nos chocalham toda a vez que caímos num buraco. Assim, os amortecedores ajustáveis oferecem o melhor dos dois mundos. Com um funcionamento mais suave para a estrada mais degradada e outra configuração mais rígida para estradas com melhor piso.

Um amortecedor mais rígido e de ação mais rápida ajuda durante as manobras que exigem um melhor desempenho e mudanças de apoio, fazendo um melhor trabalho de manter o pneu no asfalto liso, onde pode fornecer tração para curvas, travagem ou aceleração. Os amortecedores magnéticos usados por empresas como Ferrari, General Motors e Ford são preenchidos com um fluído com infusão de metal que se torna mais firme quando uma carga magnética é aplicada e mais “macio” quando a carga é desligada.

Travões maiores e melhores

Bons travões são essenciais para a segurança de qualquer veículo. Em síntese, travões mais eficazes geralmente advém de sistemas maiores ou mais eficientes. Estes permitirão que o condutor consiga imobilizar o veículo num menor espaço, conseguindo evitar embater em obstáculos que surjam de forma inesperada.

Mas uns bons travões terão que garantir uma boa resistência à fadiga derivada do uso. Devem permitir percorrer uma descida sem mostrar redução da eficácia. Os travões maiores têm mais área de superfície para dissipar melhor o calor. As pastilhas de travão de alto desempenho podem criar mais poeira e eventualmente algum ruído ao travar.

Alguns modelos de alto desempenho disponibilizam discos de travões de carbono, ou mais recentemente de cerâmica. Ambos oferecem benefícios, mas também são os modelos que mais têm tendência a fazer ruído, o que é desagradável. A nível de vantagens, além de melhorar a travagem, reduzem o peso não suspenso, o que pode levar a uma maior sensação no volante do que se passa nas rodas. E um melhor comportamento no geral do veículo.

Modos de condução

Os modos de condução tornam o comportamento do veículo mais adequado ao que pretendemos. Esses sistemas combinam alguns dos benefícios dos recursos listados acima. Geralmente estes sistemas disponibilizam diversos modos, por exemplo, Eco, Confort, Sport, Sport + (ou Track / Race).

A disponibilização de diversos modos de condução permitem usar um mesmo veículo de diferentes maneiras

Assim, estes alteram automaticamente as afinações e parametros de diversos componentes e sistemas do veículo para valores pré-determinados pelo fabricante como sendo os mais adequados para a função que selecionamos. Nos modos mais ecológicos reduzem a rapidez com que o motor sobe de rotação, reduzem as emissões degases poluentes e amolecem os amortecedores.

Naturalmente nos modos direcionados para uma maior performance, ocorre o oposto. Pois aumenta a sensibilidade ao acelerador, enrijecem os amortecedores ajustáveis, reduzem a ação do controle de estabilidade, reprograma os diferenciais, já que os torna mais diretos. Da mesma forma altera os cálculos dos sistemas de vetor de binário, em suma torna os veículos mais agressivos.

Fotos | Pikrepo, Wikimedia, Wallpaperflare, Wikimedia

--

Posts Relacionados

Editores

Uma iniciativa da: